Espaço Frei Gusmão

Debulhação

É o primeiro encontro realizado no ano. É o momento em que é constituída a “almofada” energética que ficará no altar durante o respectivo período de atividades. Flores secas, separadas pelo João Baiano ao final de cada atendimento do ano anterior, são o enchimento de tal sustentação energética.

Os trabalhadores e frequentadores presentes na ocasião auxiliam na debulhação, ou seja, tiram dos galhos as flores, enquanto mentalizam bons pensamentos, sentimentos e seus objetivos para o novo ano. As flores secas são, então, colocadas no novo tecido, formando a nova “almofada” do altar.

Em seguida, a “almofada” que ficou no altar por um ano é aberta e seu enchimento compartilhado entre os presentes. A ideia é que sejam feitos patuás, pois trata-se de um punhado de flores que traz muita energia positiva.

Com a debulhação realizada, o Espaço está energeticamente preparado para o início das atividades daquele ano.